927402888

Qual é o mais alto de todos os bens que se podem alcançar por uma ação?

Aristóteles diria ser a FELICIDADE. Essa resposta encontra eco até hoje. Tanto o homem “comum” quanto os grandes pensadores estão de acordo que a finalidade da vida é SER FELIZ. Isso quer dizer que identificamos ao longo da vida que o bem viver e o bem agir nos leva a sermos mais felizes.

Hoje “amanheci” refletindo a respeito de uma leitura que recomendo feita mês passado, o livro: Ética a Nicômaco. O livro traz explicações sobre ética, anotadas pelo filho de Aristóteles, (você sabia? Que muitas obras filosóficas são resultadas de anotações que alunos faziam durante as aulas? Essa moda precisa “pegar”).

Vale frisar que Toda a produção humana consiste em criar condições para que o homem seja feliz. Todas as religiões, as filosofias, as conquistas tecnológicas, as teorias científicas e toda a arte são criações humanas que procuram apresentar condições para a conquista da felicidade suprema. O processo todo de civilização, iniciou-se com a promessa a busca pela felicidade.

Pois bem, todo esse rodeio literário que fiz até aqui, foi para falar de ÉTICA. Mas Carol… o que tem a ver ética com felicidade? Ahhhh meus “amigos” TUDO!

Elementos positivos como a riqueza e a saúde, não possuem nenhum valor, se a alma não for boa. Concordam?

Observe… O que seria a felicidade?

A maioria das pessoas considera que a felicidade consiste apenas no prazer superficial. Porém, uma vida dedicada aos prazeres torna-nos escravos e sendo assim, é uma “existência” irracional (digna dos animais). Então eu diria que… A vida dedicada a acumular riquezas é a mais absurda e a mais inautêntica, pois é gasta para buscar coisas que no máximo valem como meios e não como fins.

A felicidade consiste numa atividade da alma segundo a virtude. Evidentemente, no meu vago conceito de “virtude”, ser feliz é ter ÉTICA.

Qual é o mais alto de todos os bens que se podem alcançar por uma ação? A felicidade através da ética que por sua vez é Racional.

Alguém pode não saber ler ou nunca ter ouvido falar de ética, mas só será feliz se for ético, nem que seja por instinto. Ética não é uma condição que a gente tem de atender para agradar alguém; não é ser exemplar em recitar códigos ou doutrinas. Não precisamos sofrer tanto para aprender que a vida é muito mais ajudar e compartilhar do que competir, ferir e derrotar. Quem tem o coração cheio de amor, tem ética, e naturalmente felicidade. Ética é não estar preocupado com a reputação, mas com o caráter, o PRÓPRIO CARÁTER. O comportamento espontâneo, generoso e fraterno, é ético.

Então, concluo que precisamos da ética para ter a felicidade, pois ela faz parte do nosso caráter.

Namastê!

Comments are closed.